Liquidificador – agora sem trema =)

Lavanderia

Posted in poésie by dabidomo on 22 de December de 2007

Asfalto molhado, mp3 no ouvido, cesta de roupas em um braço, no outro o guarda chuva. A cada passo, a doce voz de Corinne constrasta com o barulho dos pingos da chuva. O vento frio, de inverno, sopra em meu rosto marcado pelo tempo. Apresso o passo.

O abrigo , logo ali, na pequena caixa quente devido ao calor que vinha dos secadores de roupa. Entre uma peça dobrada, um pensamento vago, incertezas, planos, sonhos, besteiras. O tempo passa e ele não perdoa, é cruel e deixa marcas. O novo, não é mais novo. E o velho, cada vez mais velho. Incostâncias a parte, a única certeza que tenho é que o passado é passado, o presente é o agora, e o futuro. E o futuro?

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: