Liquidificador – agora sem trema =)

De volta ao arquipélago…

Posted in voyage by dabidomo on 5 de February de 2008

Uma semana se encerra desde minha volta da Austrália. São tantas coisas que quero escrever sobre lá, que fico meio perdido, acho que vai ficar uma bagunça total esse post e no final das contas, só eu mesmo irei entender. Mas isso basta.

Quais as surpresas que tive sobre a Austrália??? Absolutamente, nenhuma. Era exatamente oque eu esperava, talvez um pouco mais. Me senti em casa, ou melhor no Brasil..rs, porq casa mesmo, nem sei se tenho uma. A única coisa que sei é que nasci no Brasil e estou de passagem pelo Japão.

Sky of Sydney

CLIMA: Antes de viajar fui alertado de levar algumas peças de roupa de frio, pois dias antes da minha chegada o mau tempo insistia. Não foi isso exatamente que eu vi quando sai do saguão. 8 hs da manhã e o tempo estava lindo, melhor impossível. Vento, um céu azul “gritante”, sem nuvens, clima típicamente tropical. Diferente do verão “steamy” japonês, que mais parece uma sauna. O “aussie summer” tem sol, é quente, 30 graus, mas tem brisa e faz um friozinho até que gostoso durante a noite. Esse clima esse que predominou durante todos os dias da minha viagem.

COMUNICAÇÃO: Não existe coisa melhor do que se comunicar, e infelizmente o Japão não proporciona isso. Uma pelo idioma , que ainda enfrento várias dificuldades. Verdade seja dita, venho melhorando muito, mas num ritmo bem devagar. Duas, o japonês é um povo culturamente mais frio. Lógico que existem suas excepções, e ainda bem, são muitas. Mas convenhamos, qdo você vai puxar conversa com alguém na fila ou na estação de trem sem ter suas intenções confundidas? Com certeza isso pode acontecer em qualquer lugar do mundo, mas aqui é mais vísivel. Principalmente pra quem tem cara de gaijin. Austrália não, todos são comunicativos, e adoram reclamar como os brasileiros.

monorail ARQUITETURA : Esta é a parte em que fiquei maravilhado com esse país. Digamos que 70% de todas as casas datam de 30 anos atrás no mínimo, a maioria belíssimamente conservadas e caras. Muitos prédios de apartamentos seculares datam de 1890, 1900 … e os sobradinhos de tijolos vermelhos, tem lá tbm. Muitos, devido ao fato da Austrália ter sido uma colônia da Inglaterra. E no Bussines Center, os tradicionais arranha-céus enfeitam o panorama da cidade. Modernos edifícios contrastam com seculares contruções, brilhante. E com seu símbolo maior, Opera House, inspirado( acredite se quiser ) em conchas. Na minha humilde opinião, aquilo parece mais um abacaxi gigante…rs.

coalaNATUREZA: Existem certas espécies de animais e plantas que só existem nesse continente. Na cidadas eles, os pássaros, estão por todas as partes, as cacatuas, periquitos,gaivotas, pelicanos, papagaios, corvos, morcegos e inúmeros outros animais. Saindo da cidade é póssivel encontrar coalas, cangurus, golfinhos, etc…todos selvagens. Provando que a integração homem x ambiente é perfeitamente possível. E os australianos ganham dinheiro com isso, explorando o ecoturismo. Claro que tudo tem suas consequência, mas longe de gdes desatres ambientais ou seja lá oque for. Os mais “cute animals” são os coalas, cangurus, peixinhos nemo, e os periquitos que são muitos, principalmente na região de Manli ( preferida dos brasucas) . Durante o por e narcer do sol é ensurdecedor o barulho que eles fazem, e olha que isso acontece todos os dias do ano sem excessão.

BALADAS: Qto as baladas, não senti nenhuma gde diferença em relação as baladas do Brasil. Pra ser sincero eu ainda prefiro as baladas daqui do Japão. A única coisa que me incomodou um pouco foi que alguns australianos não se importam com a higiene. Na pista de dança, quente, muitos corpos suados, sem muita ventilação, tava díficil de aguentar a “cicilia” . Parece que muita gente por lá não é fã de desodorante. Pena!!!

oxford st.RESPEITO: Sydney é uma cidade íncrivel, multicultural e cosmopolitan. Dezenas de raças, etnias e religiões convivem respeitando uns aos outros como em nenhum outro lugar. E aqui, o respeito aos gays é fantástico. Enquanto os japoneses fecham seus olhos para a diferença sexual, Sydney faz marketing disso. Durante março, quando acontece o Mardi Gras, uma das paradas gays mais famosas do mundo. A cidade inteira se enfeita e prepara-se para o evento. Bandeira, cartazes, comercias circulam em tanto em Sydney, como na Austrália e também no mundo. A rua mais gay de Sydney é a Oxford Street, com lojas, hotéis, bares, clubes, restaurantes, boutiques, tudo voltado ao público. É nessa rua também que acontece o Mardi Gras, que nesse ano comemora sua 30 edição.

Ah, outra coisa legal. Perdi minha carteira em Sydney ( isso nw foi legal ) mas quando fui a delegacia fazer o BO me deparei com diversos cartazes. Um deles falava sobre a violência doméstica, dizendo quando uma simples discussão se torna mais grave e assim levando ao crime. No final da mensagem dizia mais ou menos assim: ” Se voçê sofre abuso do seu companheiro, seja hétero ou homo. Denuncie” Legal!

t-boneCOMIDA: Bom, nem preciso dizer que lá a comida segue uma tendência mundial, o extra large. O S size é igual o daqui, pequeno mesmo, suficiente pra dar uma tapa no estômago. O M size considero o Large do Japão e o Large, nem preciso falar, é o large mesmo. Tem muitos restaurantes tailandeses por lá e achei que não gostava muito de comida tailandesa desde minha viagem a Bangkok em 2006, mas mudei de ideia. A comida tailandesa da Austrália é gostosa e é a comida mais barata que tem por lá. Achei que ia achar muita carne barata, bovina de canguru tbm, mas a carne não é tão barata assim não. Pelo menos quando se pede num restaurante. Um T-bone de 500gm saiu por 30 dólares. Eu achei um absurdo, mas fazer oque? Eu queria carne desde o momento que embarquei no avião. Ah, os liquor shops estão por todos os lados, aberto até mais tarde. Australiano tem bom gosto em relação a vinhos e lá existem muitas variedades . Me esbaldei nos Chardonnay, Cabernet Sauvignon e Shiraz, meus favoritos.

CURIOSIDADES:

  • Em Sydney é grande o número de hoteis que na verdade são bares. A algum tempo atrás havia uma lei que probia bares de vender bebidas alcoólicas, tais permissões eram dadas apenas a hotéis. Pra se enquadrarem na lei os bares foram reformulados se tornando hotéis de fachada para voltarem a vender bebidas. Hoje em dia a leia não existe mais , mas os “hotéis bares” continuam dando um ar charmoso com seus prédios seculares as noites australianas.
  • Outra coisa legal é o B.Y.O. ( Bring your Own) que significa bring your own dink ( traga sua própria bebida ) . A história começou quando alguns bares e restaurantes tinham dificuldade de adquirir a licença pra vender bebida, ora porque era caro , ora pela burocracia. Enfim, a idéia é simples: você vai almoçar no seu restaurante preferido e leva sua bebida, sua garrafa de vinho ou destilado preferida. Por uma pequena quantia que varia de restaurantes, a partir de 1 dólar, o estabelecimento providencia taças e um balde com gelo. Parfait!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: